Salário-mínimo no Brasil: qual a atual situação financeira do brasileiro?

O salário-mínimo no Brasil deve atender às necessidades básicas e prazerosas do cidadão. Será que ele cumpre esse papel? Clique aqui e confira!

Quem é brasileiro sabe que a situação econômica do país não está entre as melhores. Diante a pandemia da COVID-19, a economia brasileira foi agravada. Nos últimos 5 anos, o real já perdeu 30% do seu poder de compra.

A seguir, fique por dentro das principais informações da economia do Brasil. Além disso, entenda o que é o poder de compra e a inflação tanto comentados no setor financeiro. Veja quais são os países com os melhores salários-mínimos em 2022.

salário-mínimo no brasil

O que é poder de compra?

O poder de compra de uma região é referente à capacidade da moeda local de adquirir serviços e produtos. Ele está fortemente relacionado à inflação, a qual é um indicador referente ao aumento dos preços, entre outras variáveis.

Também conhecido como poder aquisitivo, ou seja, o que você pode comprar – sejam serviços, sejam produtos – com uma determinada quantia, é um dos conceitos que permite que você compare os preços em diferentes épocas. Por exemplo, o preço dos botijões de gás aumentou quase que 50% com a pandemia do coronavírus.

Resumidamente falando, relaciona-se o valor da moeda local com o preço dos produtos e serviços da sociedade. Conforme a inflação aumenta, o poder de compra daquela região diminui – como aconteceu no Brasil nos últimos anos, agravado ainda mais com a situação global pandêmica.

Salário-mínimo no Brasil e o poder de compra dos brasileiros

Em maio de 2004, o salário-mínimo no Brasil era de 260 reais. Para o ano seguinte, houve um aumento de mais de 13% no valor. Ao longo dos anos, até janeiro de 2012, o salário-mínimo do brasileiro teve aumentos consideráveis. Porém, de janeiro de 2013 até janeiro de 2022, o salário-mínimo passou de R$ 622,00 para R$ 1212,00, o qual não passou por aumentos significativos ao longo dos anos.

Em 2021, o salário-mínimo era de R$1100,00 e, atualmente, o valor foi reajustado para R$ 1212,00, devido à medida provisória n°1.091, assinada em dezembro de 2021.

Nos últimos 5 anos – de 2017 a 2022 –, o brasileiro perdeu 30% do seu poder de compra. A perda de 21% está relacionada ao período pandêmico. Em 2021, a inflação do Brasil estava em 3° lugar no ranking mundial das mais altas inflações, perdendo apenas para a Argentina e para a Turquia.

Países com os melhores salários-mínimos do mundo

De acordo com os dados da Country Economy, o salário-mínimo do Brasil é referente a, aproximadamente, €192 (2022) – variando conforme a cotação do euro no dia.

A Suíça, por exemplo, tem um salário-mínimo equivalente a €3351 (2019), estando entre os países com o maior salário. Da mesma forma, encontra-se a Nova Zelândia, a qual tem o seu salário-mínimo um pouco acima de 2 mil euros (2021).

Entre os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, o Brasil é o penúltimo no ranking de melhores salários-mínimos. Os três melhores países são: Austrália, Luxemburgo e França.

Em 2022, o ranking global de melhores salários-mínimos é composto por:

  1. Austrália: U$12,9 por hora trabalhada, sendo considerado o melhor salário-mínimo do mundo
  2. Luxemburgo: U$12,6 por hora trabalhada
  3. França: U$ 12,2 por hora trabalhada
  4. Alemanha: U$ 12,0 por hora trabalhada
  5. Nova Zelândia: U$ 11,8 por hora trabalhada

Os Países Baixos e a Bélgica também apresentam salários-mínimos consideravelmente bons, onde os trabalhadores recebem U$11,3 e U$11,2 por hora trabalhada, respectivamente.

Já no Brasil, o valor por hora é o equivalente a 6 vezes menos do que é pago na Austrália – os brasileiros recebem apenas U$ 2,2 por hora trabalhada.

A maior economia do mundo, os Estados Unidos, estão em 16° lugar nesse ranking. O salário-mínimo dos estadunidenses é de U$ 7,3 por hora trabalhada.

Recent posts

Menu

Pages